novas (1)

Quantas vezes você já se pegou pensando em como fazer para incluir viagens na sua rotina mas parou porque simplesmente achou que era caro demais pra você? Ou queria viajar mais, mas sempre achou que não tinha dinheiro pra isso? Quem nunca teve esta ideia de que viajar é só pra quem ganha muito dinheiro?

Pois é, acho que todo mundo! A boa notícia é que isso é um mito e que vou ajudar você a começar a desmistificar hoje!

Uma coisa que aprendi nos últimos anos é que viajar é muito mais um estilo de vida do que um luxo. É claro que  não podemos negar que existem muitas viagens luxuosas e hotéis com preços estratosféricos e mimos e tudo mais, mas hoje não estou aqui falando disso, e sim do ato de viajar, conhecer novos lugares, culturas e pessoas! Tudo isso é super possível com bastante planejamento e organização. Admito, para conseguir viajar mais você vai precisar sim abrir mão de algumas coisas no seu dia a dia… No fim acho que posso chamar não de abrir mão de algumas coisas, mas sim de priorizar outras. São atitudes bem simples e fáceis, que podem parecer até óbvias, mas muita gente nunca parou para pensar nisso. Tenha certeza que elas podem ter um impacto enorme no final!

Hoje vou contar algumas coisinhas bem práticas e fáceis que uso e muito para conseguir viajar mais e para isso listei as minhas 15 dicas infalíveis pra você viajar mais também!

1 – Corte gastos desnecessários – Todo mundo pode cortar algo do seu orçamento. Parece óbvio, mas nem todo mundo faz este exercício. Seja sincero com você na hora de analisar os seus gastos. Sempre vai ter algo supérfluo e que você não vai sentir tanta falta assim. Cafezinho da padaria todo dia, escova no salão todo sábado, jantares todo final de semana ou aquela blusinha que parece inofensiva, por exemplo. Você não precisa cortar tudo, às vezes uma coisa já faz a diferença, mas tudo vai depender do que você deseja alcançar. Faça a conta no todo. Se você comprar uma blusinha inofensiva de R$ 100,00 todo mês, você gastará R$ 1.200,00 por ano e isso pagaria facilmente uma passagem de ida e volta para a América do Sul. Aquela média com leite de R$ 3,00 por dia, todos os dias de trabalho somam R$ 60,00 no mês e R$ 720,00 no ano.

Além desses gastos pequenos mas nada inofensivos, você precisa mesmo trocar o carro a cada 2 anos? Sair para jantar fora todo final de semana? Comprar aquela TV de 55 polegadas, o vídeo game lançamento e tantas outras coisas que nem percebemos, mas apenas empacam nossa vida na hora de viajar? Provavelmente se você ficar com a TV que tem vai poder pagar uma passagem internacional com o dinheiro da nova e por aí vai. Aprenda que tudo na vida são escolhas e faça as suas de forma consciente. Se você pode fazer os dois, ótimo. Mas se na sua vida não cabe jantar fora toda semana e ainda fazer uma viagem internacional de férias por ano, você vai ter que escolher. E escolher não tem problema nenhum! Tenha esta consciência e saiba o que vai te fazer mais feliz.

2-  Analise seu orçamento – Após cortar o que precisar, saiba quanto ganha e quanto realmente consegue guardar e seja realista. Se você quer fazer uma viagem por ano, já sabe quanto vai sobrar do seu orçamento para isso depois de cortar todos os gastos necessários. Assim consegue ficar de olho nas promoções, escolher o destino, hotéis etc. Se você consegue ir mas não consegue ficar no Resort All Inclusive, não tem problema. A não ser que este seja seu sonho e você tope guardar por mais tempo, não deixe de ir viajar por causa disso.novas (2)

3 – Trabalhe mais antes das férias – Existem trabalhos em que isso não é possível, como quando você é funcionário de alguma empresa com horários pré estabelecidos. Mas se você for um profissional liberal como Médico, Web Designer, Fotógrafo etc, consegue certamente pegar mais trabalhos nos meses que antecedem a viagem pra juntar uma grana extra. Também, mesmo trabalhando em alguma empresa, você pode pensar em algo extra para fazer uma graninha e trabalhar nas horas de folga.

4 – Comece com objetivos mais fáceis –  isso te dará ânimo. A não ser que você tenha um objetivo específico que sonha a muito tempo, como conhecer Paris, por exemplo, (então deve unir todos os seus esforços para este fim) comece com viagens mais fáceis de acontecer, como alguma viagem de feriado para algum lugar mais próximo e consequentemente mais barato. Isso ajudará você a ganhar confiança e ver que se colocar todo seu planejamento em prática, logo logo vai conseguir alçar vôos maiores.

5 – Planeje com antecedência – Tudo o que você comprar e reservar antes vai certamente sair mais barato do que deixar pra cima da hora. Fora que quando você compra uma passagem com 6 meses de antecedência você automaticamente já se compromete com aquela viagem e fica mais fácil guardar quando já se tem um objetivo no final.  Com mais tempo você também pode ficar de olho nas promoções. Se você já sabe o lugar mas pode ir em qualquer época do ano, pode esperar sair uma promoção para aquele destino. Se já sabe a época mas não escolheu o lugar, fique de olho e tenha a mente aberta! Sempre aparecem ótimas promoções que você pode aproveitar. Este ano apareceu uma irrecusável da Tam pra África do Sul. Não estava pensando neste destino, mas por causa do preço resolvi colocar o país na minha lista e foi uma surpresa maravilhosa! Para ficar de olho nas promoções eu consulto e sigo nas redes sociais os sites: Melhores Destinos e Passagens Imperdíveis. Sempre tem muita coisa bacana!

Map Location Direction Location Remote Relax Concept

6 – Se não for prejudicar o resultado da viagem, prefira viajar na baixa temporada – A não ser que você vá pegar monções na Ásia, frios congelantes no Leste Europeu e por aí vai, vale a pena. Você consegue economizar muito, tanto na passagem quanto nos hotéis. Se você quiser viajar pra Europa, por exemplo, fuja dos meses de verão (julho e agosto) e das férias de Natal. Se você for em maio, setembro, outubro por exemplo, verá tudo lindo e ainda gastará bem menos.

7 – Se inscreva num programa de milhagens – Posso dizer que grande parte das viagens que já fiz foram com milhas, ou uma parte com elas. Todo ano viajo com milhas. Ano passado pro Nepal usei milhas + dinheiro e paguei R$ 2.000,00 numa passagem que custaria R$ 5.000,00. Assim sempre sobra mais dinheiro para o resto da viagem. Eu sou uma papa milhas assumida e faço de tudo para juntar mesmo! Existem vários programas de milhagens de várias cias aéreas, mas para você conseguir muitas coisas precisa dar preferência para algum deles. Se não fizer isso, vai acabar juntando um pouco em cada um e nunca vai conseguir uma quantidade considerável de milhas para viajar com elas. Qual programa escolher é bem pessoal. Acho que vale consultar qual se encaixa mais com suas preferências. Apesar de usar Multiplus da Tam e Smiles da Gol, invisto mais minhas fichas na Gol, porque para mim sempre funcionou muito bem. Mas como fazer para juntar milhas? Existem vários jeitos hoje em dia, mas vou contar os que mais uso e que funcionam muito para mim.

Viajar com cias aéreas parceiras – Sempre, sempre que compro uma passagem para algum lugar, escolho pela parceira do meu programa de milhagens, para ganhar milhas e pontuo no meu programa. Exemplo: se vôo de Delta pros Estados Unidos eu pontuo no Smiles, que é parceiro e não no Sky Miles da própria Delta. Assim concentro todos os meus pontos em um lugar só. Isso vale para vôos nacionais ou internacionais. Mesmo que eu pague um pouquinho mais pela passagem, não deixo de fazer isso nunca.

Pagar tudo com cartão de crédito – Muita gente não sabe, mas tudo o que você gasta no cartão de crédito vira pontos, que podem ser transferidos pro seu programa de milhagem, seja ele qual for! Aqui o que vale é conversar com seu gerente e pedir o cartão que mais dá pontos por gasto. Além disso, se programe para pagar tudo na sua vida no cartão. Depois que vira hábito é super fácil, inclusive de controlar melhor seus gastos.

Ficar de olho nas promoções – Estes programas sempre fazem promoções em que você ganha bônus ao transferir pontos do cartão pro programa de milhagem, fazem promoções que você ganha milhas ao assinar revista, clube de vinhos, e vários outros serviços. Também pago o Clube Smiles, que dá um tanto de milhas por mês com o pagamento de uma mensalidade. No fim tudo ajuda um pouquinho.

Eu utilizo mais mesmo as cias aéreas parceiras e o cartão de crédito, sempre ficando de olho quando vai ter promoção para ganhar bônus para transferência. Este mês mesmo teve uma promoção que ganhava 70% de bônus, transferi 9 mil pontos do BB para o Smiles e ganhei 6.300 só por estar de olho!

Vale também se inscrever e usar outros programas de fidelidade onde você pode transferir pontos para os programas de milhagem, como o Km de Vantagens Ipiranga (transfere para Multiplus), o Dotz e diversos outros programas onde você acumula por compras em farmácias, mercados e até por fazer atividades físicas.

8 – Comece com destinos mais baratos – Existem lugares que vão ser caros sempre, como o Tahiti, Hawaii ou as Maldivas. Se você está pensando em economizar, leve em conta lugares mais baratos, como a Ásia por exemplo. A passagem pode até ser mais cara que o resto do mundo, mas o preço das coisas por lá são muito, muito mais baixos e você consegue ter um custo benefício muito bom no final. Enquanto para comer nos Estados Unidos em algum restaurante de rede, que são os mais em conta, você gasta em torno de USD 20,00, na Ásia com USD 5,00 você come muito, muito bem! Fora o preço das bebidas e dos hotéis e passeios que são muito menores em comparação ao resto do mundo.

Este prato de comida Tailandesa que cmemos não custou mais do que USD 8,00. Nos EUA você pagaria pelo menos o dobro mais gorjeta!

Este prato de comida Tailandesa que comemos não custou mais do que USD 8,00. Nos EUA você pagaria pelo menos o dobro mais gorjeta!

9 – Pesquise bem a hospedagem – Existe vários meios de economizar na hospedagem. Há quem prefira se hospedar em casa de pessoas pelo Airbnb e também quem use o Couchsurfing, empresa que viabiliza a troca de hospedagem na casa de alguém disponibilizado a sua para alguém. Outra ferramenta bem interessante que está sendo muito falada mas que nunca usei é o Worldpackers, onde você troca suas habilidades por hospedagem, ou trabalho voluntário por hospedagem ou em projetos ecológicos. Por exemplo,  se você quiser dar aulas de inglês ou artes ou esportes para crianças em Nova Delhi, é só se voluntariar. Você também pode dar aulas para crianças no Quênia ou ser um pirata de uma atração em Amsterdã, tudo isso em troca de hospedagem, comida e muitas vezes passeios e descontos em bares etc. Estas foram apenas algumas ofertas de trabalho voluntário que encontrei com uma rápida pesquisa. Achei super interessante e pode render ótimas experiências culturais gastando pouquíssimo! Se esse tipo de viagem não é sua praia, um bom jeito de economizar em hospedagem é usar o site Hoteis.com. A cada 10 diárias que você se hospeda, ganha uma na faixa. Serve para hotéis, pousadas e albergues. Também pode parcelar a estadia em 12 vezes, pagando em reais e sem o custo de IOF. Esse site eu uso muito, muito mesmo!

10 – Compre comida e cozinhe durante a viagem –  ao invés de comer fora, opte por fazer você mesmo. Pode ser apenas o café da manhã, por exemplo. Pode ter certeza que sempre é mais barato do que comer em restaurantes e você ainda vai conhecer mercados locais.

11 – Visite atrações gratuitas – Em todas as cidades vão ter coisas muito legais e que não custam nada para visitar. Deixe para pagar apenas por aquilo que você fizer muito questão de ver. Quando estive a primeira vez em Veneza, estava praticamente mochilando e pagar USD 50,00 por um passeio de gôndola estava totalmente fora do orçamento, mas explorei a cidade inteira e vi várias outras coisas que não custaram nada. No fim nem senti falta não.

Em 2006 a foto das gôndolas foi só assim, na paisagem! Mesmo assim adoramos conhecer a cidade!

Em 2006 a foto das gôndolas foi só assim, na paisagem! Mesmo assim adoramos conhecer a cidade!

12- Seja mais slow traveler Se você quiser ver tudo de uma vez só vai gastar muito com deslocamento e pode acabar comprometendo seu orçamento. Entenda que você não precisa ver 5 cidades da Europa em 10 dias para conhecer bem um lugar. Eu até sou da opinião que ver menos e melhor é bem mais legal. Não sou adepta de ficar contando cidades e países em uma lista não, na verdade esse ritmo de viagem me deixa até agoniada. Pense na qualidade e não na quantidade. Vá sem pressa de ver tudo. Não seja ansioso.

13 – Tenha um orçamento pré determinado e fique dentro dele – Se você se propôs a gastar USD 40,00 por dia, se vire para cumprir sua meta. Isso às vezes pode parecer difícil, mas algo que uso muito em minhas viagens para ajudar é tomar o café do hotel e jantar, fazendo um lanche durante o dia e não necessariamente parando num restaurante para almoçar. Isso me garante pelo menos metade do valor do jantar de economia e sobra para aquelas comprinhas e tudo mais. Também faça a conta durante a viagem para saber se está ficando dentro do orçamento, assim você vai saber se precisa ser mais comedido nos próximos dias ou se está gastando menos do que o previsto e pode se dar a luxo de fazer algo mais legal como jantar em um restaurante bom, ou comprar alguma lembrança do lugar.

14 – Compre pouco e comece escolhendo destinos que não te instiguem a ser consumista – Com certeza um dos maiores gastos de uma viagem podem ser as comprinhas. Facilmente. Se você está contando dinheiro, prefira não viajar para os Estados Unidos por exemplo, que te fazem querer comprar a cada esquina. Mesmo em outros destinos, se estiver com a grana curta, compre pouco e apenas alguma lembrança especial do lugar.

Visitando templos budistas no Nepal. Com certeza você gasta muito menos na Ásia do que em países mais ocidentais e consumistas!

Visitando templos budistas no Nepal. Com certeza você gasta muito menos na Ásia do que em países mais ocidentais e consumistas!

15 – Viaje leve – Quanto menos peso você carregar mais fácil será se encaixar em qualquer tipo de tranporte para ir de um lado para o outro. Trens são opções excelentes em várias partes do mundo, mas com certeza você vai ter um pouco de dificuldade se estiver viajando com malas gigantes e pesadas. Companhias aéreas low cost também voam para muitos e muitos destinos em todo o mundo e são excelentes opções, porém geralmente estes tickets não incluem muito peso despachado. Se você estiver com malas pesadas vais gastar mais para carregar o seu peso.

Essa é uma lista de coisas básicas que acredito serem fáceis de aplicar com um pouco de determinação. Mas se você leu até aqui é porque tem vontade de viajar mais, então use essa vontade para aplicar isso no seu dia a dia e nas suas viagens!  Com certeza se você tentar, vai ver que viajar não é esse bicho de 7 cabeças e logo logo vai poder se jogar nesse mundão!

Beijos e obrigada pela visita!!!

 

 

Share: