cape-town

Oi Gente!

Hoje vim falar da Cidade do Cabo, ou Cape Town,  a nossa primeira parada da viagem pela África do Sul!

Confesso que mesmo lendo e pesquisando muito antes de ir, já sabendo dos encantos que ia encontrar, me surpreendi! Aos pés da imponente Table Mountain ela é ainda mais linda ao vivo! Limpa e organizada, paisagens de tirar o fôlego convidam para a vida ao ar livre e o contato com a natureza maravilhosa. Ótimos restaurantes com preços bem atrativos fazem você ter uma surpresa a cada jantar e praias maravilhosas de areia branca (e água fria) te esperam!! Prepare-se pra se apaixonar!

Neste post você vai encontrar todos os detalhes e ainda um roteiro completo do que fazer em 4 dias por lá! Preparados?

Sobre a cidade

A Cidade do Cabo é a capital legislativa do país e fica localizada na província do Cabo Ocidental. É a segunda cidade mais populosa da África do Sul perdendo apenas para Joanesburgo. O incrível é que estando lá você não tem esta sensação de metrópole.

Ela tem um dos principais portos da África do Sul e é um dos principais destinos turísticos do país.

mapa-cape-town-ok

Como chegar

Como contei no primeiro post sobre a África do Sul aqui, não existem vôos diretos do Brasil até Cape Town. Mas South Africa Airways, Mango, Kululua, Safair e British oferecem vôos diretos de Joanesburgo até Cape Town, com duração de 2h15m e preços em torno de USD 150,00 ida e volta. Nós voamos Mango, que é uma cia aérea local e que faz vários vôos internos e não tenho do que reclamar. Foram pontuais e com ótimo serviço.

Quanto tempo ficar

Eu sempre acho que quanto mais tempo você ficar em uma cidade mais vai conseguir realmente viver o lugar, mas em alguns casos, como foi nesta viagem, onde a lista do que queríamos ver era longa e o roteiro era curto (12 dias), tivemos que espremer um pouco. Dormimos 4 noites na Cidade do Cabo, sendo que na primeira chegamos quando já era noite na cidade. Então tivemos a primeira noite, 3 dias inteiros e mais a manhã do dia que fomos para Stellenbosch. Para o que queríamos fazer achei suficiente, mas ficaram faltando algumas atrações. Não ficamos tristes, pois escolhemos dentro dos dias que tínhamos, os programas que mais queríamos fazer. Se você puder, eu aconselharia ficar 4 dias inteiros (5 noites, no caso). Acho que seria o tempo perfeito! Mas com 4 você já vai poder ver muita coisa! Nós fizemos várias trilhas então se você não for afim, faça esta troca por exemplo. Mas menos do que 3 dias inteiros acho bem corrido!

Onde ficar

Cape Town tem diversas regiões legais para se hospedar, dependendo do que você busca.

Green Point é o bairro badalado atualmente, onde todo mundo quer morar e tem vários restaurantes bacanas, e cheio de apartamentos legais no airbnb e pousadas. Mas além dos restaurantes, não é um local onde você vai poder passear muito durante a noite.

Se você gosta de baladas, deve se hospedar em Long Street, rua super antiga, cheia de baladinhas e restaurantes e perto da praça de artesanatos e Bo-Kaap também.

No caminho que leva a Signal Hill e Table Mountain fica a Church Street, rua super simpática e que tem restaurantes e também ficam dois albergues que achei super bem localizados: o The Backpack Hostel Cape Town e o Cape Town Backpackers. Se sua pegada for se hospedar em albergues, eu sugeriria ficar aqui.

Nós não estávamos muito afim de agito. Eu procurava um lugar bem localizado e perto das atrações, bonito, onde a gente pudesse sair do hotel e ir jantar e passear à pé durante a noite e que tivesse uma vista bonita da cidade. Lendo bastante, achei que o V&A Waterfront era perfeito pro que estávamos procurando. É um complexo à beira mar com píer para barcos, shopping, restaurantes, lojinhas de souvenirs, galerias de arte, um Food Market maravilhoso, uma roda gigante e várias empresas de passeios, tanto de barco quanto de helicóptero. Resumindo, tudo o que você precisa você encontra por ali. Existem vários hotéis nas redondezas, e no Waterfront e escolhemos o Victoria & Alfred Hotel, que foi perfeito!

Vista da janela do nosso quarto

Vista da janela do nosso quarto

O café da manhã era maravilhoso e incluso e com direito a uma vista fantástica da Table Mountain, assim como a vista do quarto! Wifi liberado e estacionamento grátis. Alguns pontos importantes que avalio antes de escolher um hotel.

Café da manhã com aquela vista!

Café da manhã com aquela vista!

Café da Manhã tinha várias mesas com queijos, pães, geléias e um strudel de maçã maravilhoso! Além disso , todas as opções à la carte!

Café da Manhã tinha várias mesas com queijos, pães, geléias e um strudel de maçã maravilhoso! Além disso , todas as opções à la carte!

O hotel tem atendimento espetacular, quarto grande e muito confortável, com banheira, amenities e boas vindas com direito a cartinha e chocolates!

Quarto super confortável, e a janela era assim porque a gente estava no último andar!

Quarto super confortável, e a janela era assim porque a gente estava no último andar!

Todos os dias quando chegávamos dos passeios, já estávamos do lado de inúmeros restaurantes, lojinhas e tudo mais!

Onde comer

Esta é uma das coisas boas da Cidade do Cabo! Come-se excelentemente bem, principalmente se você gosta de frutos do mar, que ali são super fresquinhos e saborosos! A cidade está lotada de bons restaurantes! Só no V&A Waterfront são mais de 80 opções de restaurantes, bares e padarias para você escolher! Fora os restaurantes dos outros pontos da cidade! Vou confessar que foi tão bom me hospedar ali que não jantamos nenhum dia em outro lugar, pois eram tantas opções tão pertinho que não tinha motivo para sair. Fora os jantares, um dia almoçamos em Cape Point, outro em Camps Bay e também tomamos uns drinks por lá no fim de tarde.

O melhor de todos que jantamos foi o Harbour House, que além de lindo iluminado, tem um atendimento de primeira e se não os melhores, mas um dos melhores frutos do mar que já comemos! Se for ali, peça o Seafood Platter, que serve duas pessoas, com lagostins, camarões, lulas e peixe!

2017-03-26 - Waterfront e Harbour House (8)

Harbour House e sua comida maravilhosa!

Meloncino também foi super gostoso. É um restaurante italiano que serve um ótimo risoto e também ótimos frutos do mar! Ele fica no segundo piso no Victoria Wharf, também de frente pro píer.

2017-03-27 - E - Meloncino (3)

Risoto de Camarões no Meloncino!

2017-03-27 - E - Meloncino (2)

Outro lugar que jantamos e almoçamos de tanto que gostamos, foi o Waterfront Food Market! Ali você vai encontrar desde ostras, comida africana, mexicana, wraps saborosos, vinho, sushi, iogurtes, muitos doces, sorvetes e várias guloseimas gourmet como azeites de oliva, temperos etc. Comi wrap e mexicano. Recomendo os dois! O vinho ali é super barato também!

2017-03-27 - C - Waterfront (13)

O Food Market é cheio de opções e é uma ótima pedida para o almoço!

Delícias do Food Market!

Delícias do Food Market!

No dia que fomos pra Camps Bay também almoçamos no Kauai, um lugar que vende Wraps e comidas saudáveis e muito boas! Aprovei também! No Waterfront também tem um Kauai bem pertinho da roda gigante e do hotel.

Um lugar bem famoso que passamos em frente mas não chegamos a ir é o Mama Africa, que serve comida africana e carnes exóticas em Long Street. É bem famoso, mas nós não estávamos muito no clima de tentar estas comidas diferentes!

2017-03-28 - C - Bo Kaap e Greenmarket Square (134)

Dica: Beba muito vinho! É ótimo e barato! Bebemos vinho todos os dias da viagem! Chardonnay foram meus favoritos, mas vou contar mais no post sobre Stellenbosch! Aguardem!

Como se locomover

Como comentei no primeiro post que fiz sobre a África do Sul, o melhor jeito de se locomover é alugando um carro. As estradas são excelentes, a sinalização idem e o Waze e outros apps de GPS funcionam muito bem. O carro também dará flexibilidade no roteiro, que, como vou mostrar abaixo, inclui diferentes pontos em um mesmo dia. Principalmente para ir para Cape Point, considero carro indispensável. Aluguei na Rentalcars e funcionou muito bem. Lembre-se que lá a mão é inglesa e você vai ter que dirigir do lado oposto ao que dirige aqui!

Cape Town não tem serviço de metrô, mas a fama do ônibus é boa e você pode saber mais detalhes sobre preços, horários e rotas no site do MyCiti.

Outra opção se você não quiser ficar com o carro todos os dias, é usar aquele ônibus vermelho, o City Sightseeing. Também funciona super bem e para em todos os lugares que citei no roteiro, dentro de Cape Town.

O que fazer

Aqui eu montei o roteiro detalhado baseado no que fizemos e deixando sugestões caso você queira adaptar aos seus gostos, vontades ou ao seu número de dias na cidade! Let’s go?

Dia da chegada: Se chega à noite, faça check in e saia para reconhecer a área! Escolha um dos restaurantes do Waterfront pra fazer sua estreia!

V&A Waterfront durante a noite!

V&A Waterfront durante a noite!

Dia 1 – Table Mountain + Food Market + Pôr do Sol em Signal Hill

Comece o dia cedo, tome um bom café da manhã e vá para a Table Mountain. Este passeio é imperdível e é impossível você não notar esta montanha imponente com topo achatado que lembra uma mesa! Ela está situada no Table Mountain National Park e foi considerada uma das Novas Sete Maravilhas da Natureza, pela New7Wonders. Faça este passeio no primeiro dia se ver que o céu está aberto, pois se estiver fechado você não vai ver nada lá de cima. Se estiver chovendo, a subida de bondinho para a montanha também não abre. Pode acontecer, como aconteceu com a gente, de você sair do hotel com céu super aberto e quando chegar lá em cima, fechar! Mas tenha paciência que logo pode mudar novamente! Nós optamos por subir a Table Mountain a pé, pela trilha, pois gostamos de ter este contato com a natureza e apreciar a paisagem, mas você não precisa fazer todo o esforço! Pode subir de bondinho, o chamado Cableway, se preferir! A Table Mountain está a 1.085 metros do nível do mar e existem mais de 65 trilhas que levam ao seu topo.

2017-03-27 - B - Table Mountain (31)

Vista do topo da Table Mountain!

Subindo a pé

O caminho mais comum para turistas e moradores se chama Platteklip Gorge. Cerca de 90% das pessoas que sobem a Table Mountain a pé usam esse caminho, considerado o mais rápido e fácil. Apesar disso, é uma trilha exigente para quem não está em forma fisicamente.

2017-03-27 - B - Table Mountain (118)

Placa na entrada da trilha!

2017-03-27 - B - Table Mountain (1)

O Caminho é todo bem snalizado! Siga sempre a rota de Platteklip Gorge!

Separe até duas horas para subir. A subida é bem sinuosa e íngreme, cheia de pedras. São cerca de 2500m de caminhada e 600m de desnível. Nós levamos 1 hora e 5 minutos, mas somos apressadinhos e corremos em algumas partes. O tempo que você vai levar depende do seu preparo físico. Mas a trilha em si não é tecnicamente difícil. Vimos vários tipos de pessoas, as mais lentas que iam conversando e apreciando o lugar e os mais rapidinhos como nós!  Nós adoramos! A paisagem na subida é linda demais e a vista compensa! Alguns dados práticos e muito úteis para achar a entrada da trilha:

Paisagem durante a trilha!

Paisagem durante a trilha!

O início da trilha Platteklip Gorge fica na Tafelberg Road, cerca de 1500m depois da estação do bondinho. Você pode estacionar o carro por ali mesmo, perto do início da trilha. Tem uma placa indicando a trilha, e no caminho existem algumas bifurcações, mas todas estão sinalizadas. Chegando no topo, você pode caminhar até a estação do bondinho, onde tem banheiro, lojinhas e restaurantes. Fique um pouco para descansar e apreciar a vista. Dá pra ver as praias (Clifton e Camps Bay), o Lion’s Head e Signal Hill, o Waterfront, o estádio da Copa e grande parte da cidade.

2017-03-27 - B - Table Mountain (35)

Vista do Lion’s Head, Signal Hill, Estádio e V&A Waterfront!

2017-03-27 - B - Table Mountain (67)

Praia de Camps Bay vista do topo da Table Mountain

Você pode descer de bondinho, mas lembre-se que terá que caminhar os 1500 metros lá embaixo, caso tenha deixado o carro perto da trilha. Ou pode descer pelo mesmo caminho, que foi o que fizemos. Levamos quase o mesmo tempo na descida.

Esse site aqui tem informações sobre as outras trilhas, para quem quiser se aventurar mais

Nesse link do Strava está o nosso trajeto, se quiser ver direitinho onde fica e como é o trajeto.

Subindo de Cableway

Se você optar subir de bondinho com certeza vai suar menos e chegar mais inteiro. Mas também prepare-se pra fila! No hotel nos falaram que pode demorar mais de uma hora para sua vez chegar! Achei o bondinho ótimo inclusive para quem opta por subir andando e quer descer mais rápido! A primeira viagem do bondinho sai às 8h00 e a última às 18h00, sendo que o último retorno sai do topo da montanha às 19h00 (em algumas épocas do ano este horário se estende até quase 21h00).

O bondinho também pode te levar até o topo!

O Cableway também pode te levar até o topo!

O preço do ingresso round trip custa R255, algo em torno de R$65,00. O ticket one way, para quem quiser subir à pé e descer de Cableway ou vice-versa custa R135, uns R$35,00. O site com todas as informações sobre o Cableway é este aqui!

Ainda sobre o Cableway, ele comporta 65 pessoas e gira 360°, o que permitem que todos tenham a vista privilegiada!

Independente de como você subir tenho certeza que será inesquecível! Como fomos a pé, foi um passeio que durou praticamente toda a manhã. Iniciamos a caminhada às 8h30 e chegamos perto do meio dia no hotel. Caso você vá de Cableway também acho que deveria reservar umas 3 horas já que pode pegar fila! Muita gente vai no pôr do sol que também deve ser bonito!

Waterfront Food Market e Lojinhas

De volta ao V&A Waterfront no hotel, vá conhecer o Food Market e almoçar! Como comentei na seção de Onde Comer, as opções ali são inúmeras num ambiente descolado e descontraído. Escolhemos almoçar um wrap natureba e estava delicioso.

Clima do V&A Waterfront

Clima do V&A Waterfront

Depois do almoço as lojinhas do Waterfront são tentadoras para dar umas voltinhas! O shopping possui todas as lojas conhecidas como Pandora, Zara, H&M, Gucci, Louis Vuitton, fora várias outras de artesanato e arte africana. Entrei em muitas destas pois sempre gosto de trazer coisas do lugar. Existem muitas galerias de arte também, com peças e quadros africanos. Adorei a African Trading Port, que é enorme e fora do shopping numa casa muito simpática e cheia de bichos de metal gigantes na frente. Ali tem um apanhado de tudo o que você vai ver em todas as lojas e ítens originários de praticamente todos os países da África! A loja é enorme e pode parecer mentira, mas os preços eram melhores e a variedade maior do que os do mercado de artesanato de Long Street. Essa questão do preço vale também para outras lojas do Waterfront. Na galeria do Victoria & Alfred Hotel também têm lojinhas bonitas e louças pintadas à mão maravilhosas! Para quem gosta deste tipo de souvenir vale gastar um tempinho ali!

2017-03-27 - C - Waterfront (25)

Eu e minha paixão por comprinhas de viagem!

2017-03-27 - C - Waterfront (42)

Pôr do Sol em Signal Hill

Depois de um passeio pelas lojinhas e Food Market, assista ao pôr do sol no mar de Signal Hill, que é bem aos pés do Lion’s Head! O lugar é famoso pelos seus sunsets e tem até proteção no chão para as pessoas sentarem e uma daquelas molduras emblemáticas para fazer foto com a Table Mountain de fundo! A vista é incrível dali e foi um dos fins de tarde que mais gostei na África do Sul! Compramos uma garrafa de vinho no Food Market e saímos uma hora antes do horário do pôr do sol! Faça isso. Consulte a hora do pôr- do sol e vá mais cedo (o horário muda conforme as estações do ano). O acesso é super fácil. Dá pra chegar de carro e tem estacionamento, nada de árduas caminhadas! A vista é a recompensa de um lindo primeiro dia! Leve casaco, pois venta bastante!

Pôr do Sol incrível!

Pôr do Sol incrível!

2017-03-27 - D - Signal Hill (26)

Lugar super astral! Todo mundo senta no chão, leva petiscos, bebida e fica ali, apreciando o show da natureza!

Lugar super astral! Todo mundo senta no chão, leva petiscos, bebida e fica ali, apreciando o show da natureza!

2017-03-27 - D - Signal Hill (112)

Dia 2 – Passeio de Helicóptero + Bo-Kaap + Long Street + Camps Bay

O passeio de helicóptero foi super rapidinho, apenas 15 minutos, mas suficiente para ter aquela vista de cartão postal de Cape Town que vemos nos livros e sites! Adorei! Ali mesmo no Waterfront existem várias empresas vendendo este passeio e o heliporto fica a uma distância bem pequena do hotel. Dá pra ir caminhando! Contratei o passeio com a NAC Helicopters e aprovei! São super pontuais e organizados e me senti super segura! Eles têm um portfólio de diversos tipos de vôos panorâmicos e passeios com diferentes tempos de duração, trajetos e aeronaves. Como eu queria algo rápido e legal, escolhi o Hopper Tour, de 15 minutos. Éramos em apenas duas pessoas então também fiz isso num helicóptero bem pequenininho! O nosso trajeto foi este aqui. Saiu do Waterfront e foi até Camps Bay. Fizemos o passeio de manhã, mas também acho que no fim de tarde deve ser lindo! Os valores saem a partir de R$ 820,00 para até 3 pessoas no helicóptero pequeno.

Helicóptero pequenininho do nosso passeio!

Helicóptero pequenininho do nosso passeio!

2017-03-28 - B - NAC Helicopters (2)

Vista sensacional!

2017-03-28 - B - NAC Helicopters (7)

Bo-Kaap + Long Street

Este é um combo que pode ser feito a pé, se você estacionar em um dos dois locais! Ficam super próximos. Nós estacionamos em Bo-Kaap e fomos a pé até Long Street! Aqui fugimos um pouco das belezas naturais e temos um passeio mais cultural e histórico. O simpático bairro de Bo-Kaap, que fica na encosta do Signal Hill e hoje abriga casinhas simpáticas e coloridas do século XIX, já foi bairro exclusivo de escravos em 1700, trazidos da Indonésia e Índias Orientais e formando a etnia Malai, mistura destes povos. Depois, já em 1844, se estabeleceram ali islâmicos que construíram diversas mesquitas, formando assim o bairro multicultural que é hoje. Atualmente a maioria dos moradores do bairro é de religião islâmica. Na rua principal do bairro e na construção mais antiga, fica o museu da cultura Malai.

Casinhas coloridas e simpáticas no bairro Malai!

Casinhas coloridas e simpáticas no bairro Malai!

2017-03-28 - C - Bo Kaap e Greenmarket Square (60)

Adorei essa daí!

Já em Long Street, espere ver casas em estilo vitoriano originais e preservadas, muitos bares, livrarias de livros antigos, lojas de artesanatos e albergues! É o destino mais popular na Cidade do Cabo, principalmente pra quem procura agito e badalação. Dizem que é segura, mas durante o dia não me senti muito segura ali não. Não fui à noite, mas acho que deve ser mais legal o astral das festas e bares com gente na rua do que durante o dia. Demos uma passada rápida mesmo. Ali fica o famoso Mama Africa.

2017-03-28 - C - Bo Kaap e Greenmarket Square (142)

Casas vitorianas originais

2017-03-28 - C - Bo Kaap e Greenmarket Square (141)

A poucos metros da Long Street fica a Greenmarket Square, praça  que antigamente servia como mercado de escravos e hoje abriga um mercado bem grande de artesanatos africanos de vários países, não somente da África do Sul. Eu adoro este tipo de mercadinho, mas como contei, achei mais caro do que nas lojinhas e acabei não comprando muita coisa. De qualquer forma, vale lembrar que os artesanatos africanos são bem diferentes dos encontrados nos mercados asiáticos. Eu nunca tinha ido pro continente africano, mas já tinha visitado Bali, Tailândia, Nepal… e todos com suas riquezas de detalhes nas peças. Os artesanatos africanos são bonitos e originais, mas não espere tanta minúcia em detalhes. São peças um pouco mais brutas, mas essa diferença é legal e traduz as diferenças culturais de um lugar pro outro!

Greenmarket Square

Greenmarket Square

2017-03-28 - C - Bo Kaap e Greenmarket Square (146)

Camps Bay

Saindo do centro, dirija rumo à Clifton e Camps Bay! A paisagem é linda demais, e vale fazer paradas para fotos no caminho.

Vista maravilhosa no caminho!

Vista maravilhosa no caminho!

Camps Bay é uma praia de areia branca e água muito azul, emoldurada pelos Doze Apóstolos, montanhas que fazem parte do Table Mountain National Park. Ali existem muitos restaurantes legais com vista para o mar! Almoce por ali e curta a praia se for calor! Nós tentamos, mas o vento não deixou! Era muita areia na cara! Como queríamos esperar pelo pôr do sol, que resolvemos ver na subida de Camps Bay para Clifton, paramos em um barzinho que tinha Happy Hour e ficamos curtindo o dia, o som e bebendo uns drinks. Algo bem bom para fazer nas férias também, para não ficar só ticando pontos turísticos de uma lista imensa.

Praia de Camps Bay!

Praia de Camps Bay!

2017-03-28 - D - Camps Bay (54)

2017-03-28 - D - Camps Bay (96)

Pôr do sol com vista de Camps Bay e os Doze Apóstolos

Pôr do sol no mar!

Pôr do sol no mar!

Outras opções de pôr do sol caso você não queira esperar são: subir o Lion’s Head, subir a Table Mountain e ver de Green Point.

Durante a noite saia para jantar no V&A Waterfront ou volte para Long Street e escolha um dos restaurantes típicos e badalados para jantar!

Dia 3 – Boulders Beach + Cape Point + Chapman’s Peak Drive

Até o segundo dia, todas as atrações do roteiro são super próximas do hotel, nada além de 20 minutos de carro. Mas o dia de passeio para Cape Point e Cabo da Boa Esperança fica mais distante. Reserve um dia inteiro para tudo! Acho que este é um dos pontos altos da visita à Cape Town e um dos dias que mais gostei! Além de lindo, o lugar é cheio de história! Tanto Boulders Penguin Colony quanto Cape Point e o Cabo da Boa Esperança também fazem parte do Table Mountain National Park, que começa em Cape Town e se estende por quase 70km.

Saindo do Waterfront direto ao Cape Point são 70km dirigindo. Mas cuidado para não pegar a rota mais rápida sugerida pelo GPS e perder a rota cênica. O caminho mais bonito é passando pelas praias em direção a Hout Bay e fazer a famosa Chapman’s Peak Drive. Até ali são cerca de 30km. Dali, mais 20km você chega na Boulders Penguin Colony e depois são mais 22km até o Cape Point. Você também pode ir pelo caminho mais rápido e voltar por Chapman’s Peak Drive, que foi o que fizemos, pois na ida a Chapman’s Peak Drive estava fechada para manutenção no horário que passamos.

Boulders Penguin Colony

2017-03-29 - B - Boulders Beach (1)

A primeira parada do dia é fofa e não tem como você não se apaixonar pelos pinguins africanos que vivem nesta colônia! Eles moram super bem, em uma praia linda no vilarejo de Simon’s Town. É o mais perto que você vai conseguir chegar de uma colônia de pinguins africanos no mundo!

A reserva é rodeada por decks para que você possa observar mas sem invadir o habitat do pinguim

A reserva é rodeada por decks para que você possa observar mas sem invadir o habitat do pinguim

Ali, a praia mais famosa é Boulders Beach, por conta do nome da colônia. Em Boulders Beach você pode tomar banho se quiser e andar livremente com chances de ver pinguins, mas o local lotado de pinguins que vemos pela internet e onde existem passarelas e decks para observação é Foxy Beach, que fica um pouco antes de Boulders. Não é difícil achar pois o local é cheio de placas e você vai ver um guichê de entrada onde você vai pagar R70, algo em torno de USD5,00 para entrar. Este ingresso vale para a entrada em Boulders Beach também.

Eu bem pertinho de um pinguim em Boulders mesmo. Nesta praia você pode tomar banho de mar, caminhas etc, e até encontrar algum pinguim, mas ela não é onde fica a maior concentração de pinguins.

Eu bem pertinho de um pinguim em Boulders mesmo. Nesta praia você pode tomar banho de mar, caminhar etc, e até encontrar algum pinguim, mas ela não é onde fica a maior concentração de pinguins.

Foxy Beach é a praia onde fica a Boulders Penguin Colony

Foxy Beach é a praia onde fica a Boulders Penguin Colony

Amando ver tantos bichinhos fofos juntos!

Amando ver tantos bichinhos fofos juntos!

O Pinguim Africano é uma espécie ameaçada de extinção por várias razões, princialmente pela coleta de seus ovos como fonte de alimento e pela caça por causa do couro. Para se ter uma ideia, no censo realizado em 1956 existiam 150.000 pares reprodutores no mundo. Em 2009, em novo censo, foram contados apenas 26.000, o que mostra uma queda de 80% no número de casais, algo assustador em pouco mais de 50 anos. Na colônia de Boulders existiam apenas dois pares reprodutores em 1982  e agora são mais de 2.200! Este crescimento considerável se deu principalmente por causa da proibição da pesca de rede em False Bay, o que fez com que a quantidade de sardinhas e anchovas, parte da dieta dos pinguins, aumentasse por ali, se tornando o local perfeito para a vida destes adoráveis mamíferos.

2017-03-29 - B - Boulders Beach (34)

Algumas curiosidades sobre os Pinguins Africanos:

  • Nadam a uma velocidade de até 7km/h e podem ficar submersos por até dois minutos
  • Sua cor preto e branco é perfeita para camuflagem. Branco na barriga para os predadores que olham de baixo do oceano para cima e preto para ajudar a proteger dos predadores que olham de fora para dentro da água!
  • Eles adquirem esta cor depois de um ano ou dois. Só começam a se reproduzir depois de 4 anos e são monogâmicos.

2017-03-29 - B - Boulders Beach (23)

Cape Point e Cabo da Boa Esperança

Depois de ver os pinguins, dirija por mais ou menos 17Km até a entrada do Cabo da Boa Esperança. A entrada do parque custa R135 por pessoa, aproximadamente USD12,00. O parque é enorme, gigantesco mesmo! Quando você entra, fica com vontade de explorar mais, principalmente se amar a natureza como eu. Ali existem muitas trilhas, lugar pra dormir, local pra picnic, detalhes que vão ter post exclusivo, afinal, os Parques Nacionais Sul Africanos merecem! É de tirar o chapéu! Reserve umas duas horas para visitar Cape Point, pelo menos!

2017-03-29 - C - Cape Point (1)

Entrada do parque

Paisagem no caminho para o Cabo da Boa Esperança

Paisagem no caminho para o Cabo da Boa Esperança

Este lugar é daquele tipo que vai te fazer voltar lá pro colégio e lembrar da sua professora de história quando ela falava das grandes navegações. É legal poder ver com os próprios olhos o que os antigos navegadores viram quando chegaram aqui.

Aliás, a primeira pessoa que chegou no Cabo da Boa Esperança, também apelidado de Cabo das Tormentas, por seu mar agitado e fortes ventos que foram causa de mais de 20 naufrágios, foi Bartolomeu Dias em 1487 numa tentativa de chegar às Índias. Quem realmente conseguiu contornar o Cabo e chegar às Índias pela primeira vez foi Vasco da Gama.

Este local foi por muito tempo conhecido por ser o ponto mais ao sul da África, mas atualmente já se sabe que não é verdade. O ponto mais ao sul da África é Cape Agulhas, que fica a 200km dali. O Cabo da Boa Esperança é o lugar mais ao sudoeste da África.

Uma vez dentro do parque você segue as placas e vai até o Cabo da Boa Esperança. A vista dali é sensacional! Tem um estacionamento e a famosa placa, onde com certeza você vai tirar uma foto!

Aquela foto clássica!

Aquela foto clássica!

Passando a placa existe uma trilha que sobe e de onde você vai ter uma vista ainda mais privilegiada. É uma subidinha simples de uns 10 minutos e vale a pena!

Mas suba este morro! Vale a pena!

Mas suba este morro! Vale a pena!

2017-03-29 - C - Cape Point (29)

Seguindo dali para Cape Point, você vai ver um grande estacionamento e pode escolher, se quer subir até o farol andando, que foi o que fizemos (já viram que gosto de andar hehehe) ou de funicular. O funicular custa R50 e não tem muita fila, mas a paisagem é tão bonita que preferi caminhar.

Funicular que você pode usar para subir até o farol

Funicular que você pode usar para subir até o farol

A estrutura do parque é ótima e ali existe um restaurante lindo chamado Two Oceans, à la carte e com uma vista sensacional e uma lanchonete que serve sanduíches e pizza. Também tem uma loja bem grande de souvenir.

2017-03-29 - C - Cape Point (67)
2017-03-29 - C - Cape Point (77)

Babuínos

O parque está cheio deles, nas praias, estacionamentos etc. E existem placas alertando sobre eles por todo o caminho! Cuidado com sua comida, pois eles se sentem atraídos e podem vir e roubar algo de você. Eles pedem para não alimentar estes animais, pois eles se tornam agressivos e devem ser sacrificados. Todo mundo respeita, mas é engraçado ver esses bichos soltos por lá!

2017-03-29 - C - Cape Point (91)

Chapman’s Peak Drive

2017-03-29 - D - Chapman's Peak Drive (4)

Depois de tantas maravilhas, voltar para Cape Town fica ainda mais especial por esta estrada cênica! São 114 curvas nos penhascos em 9km de estrada com view points para estacionar e apreciar! A estrada é antiga, foi inaugurada em 1922, porém após rolamento de pedras em que pessoas foram  feridas e uma pessoa morreu nos anos 90, a estarda foi fechada no ano 2000. De 2000 a 2003 eles fizeram muitas melhorias com a amarração das pedras e deixando a estrada segura, sendo reaberta após a conclusão das obras. Atualmente e é feita uma manutenção constante da rota para evitar acidentes. Por conta disso a estrada pode estar fechada. Vale a pena acessar o site oficial aqui e verificar no dia que você planeja ir, se estará fechada e em quais horários. Foi sem dúvidas a estrada mais bonita de toda a viagem!

2017-03-29 - D - Chapman's Peak Drive (31)

Estrada sinuosa na beira do mar!

2017-03-29 - D - Chapman's Peak Drive (46)

2017-03-29 - D - Chapman's Peak Drive (52)

Vista da estrada já no final, a caminho de Cape Town

Dia 4 – Lion’s Head.

A trilha para o Lion’s Head é mais curta que a da Table Mountain, mas é mais difícil tecnicamente. Você pode estacionar bem no início da trilha. Não tem segredo pois sempre tem bastante gente.

2017-03-30 - A - Lion's Head (42)

Início da trilha de Lion´s Head

Tem quem faça bem cedinho, para ver o sol nascer, ou no fim de tarde, para ver o sol se pôr, ou a qualquer hora do dia. Nós resolvemos fazer de manhã cedo, para não pegar muito calor, mas também não ir ou voltar no escuro, pois tem umas partes meio complicadas. O início da subida é uma caminhada, mas depois começa a ficar mais pedregoso e tem até umas partes onde precisa escalar. Nada que exija conhecimento técnico, pois tem correntes pra se segurar e degraus de metal para se apoiar. Não tem segredo, mas se não curtir e preferir, nesse trecho tem a opção de um caminho mais longo e mais fácil.

De manhã cedinho a vista da trilha é linda!

De manhã cedinho a vista da trilha é linda!

Mas a trilha é bem exigente no final, quando você praticamente tem que escalar as pedras!

Mas a trilha é bem exigente no final, quando você praticamente tem que escalar as pedras!

A vista lá em cima é ainda mais linda que a do topo da Table Mountain. Dali você vê a Cidade do Cabo de 360 graus, inclusive com a Table Mountain de fundo. São 2,2km com 220 metros de desnível, que você faz circulando a montanha. Levamos uns 50 minutos para subir, mas dá pra fazer mais rápido que isso. Separe duas horas para ir e voltar.

Vista da Table Mountain do topo do Lion´s Head

Vista da Table Mountain do topo do Lion’s Head

 

Camps Bay vista do topo!

Camps Bay vista do topo!

2017-03-30 - A - Lion's Head (120)

2017-03-30 - A - Lion's Head (141)

Outras coisas que não fizemos e você pode fazer

Aqui deixo outros passeios bem famosos por lá e que você pode adaptar no roteiro que sugeri, para que fique do seu jeito!

Robben Island

Foi onde Nelson Mandela ficou preso por vários anos e onde você pode visitar a prisão utilizada durante o apartheid, guiada inclusive por ex presos. É bem pertinho de Cape Town e o barco sai do Waterfront. Para ir e voltar reserve pelo menos 4 horas (uma manhã ou uma tarde). O site oficial com mais informações é este!

Resolvemos não visitar Robben Island mesmo sabendo que tem um papel importante na história da África do Sul porque o Paulo não é muito fã de visitar prisões. Era um passeio que estava na lista de secundários que deixamos caso sobrasse tempo. Como não quisemos correr para fazer tudo, acabamos não indo, mas já li que é super interessante e acho que eu teria gostado.

Kirstenbosch Botanical Garden

É o Jardim Botânico da Cidade do Cabo que dizem ter jardins esplêndidos, considerado o mais bonito da África e um dos mais belos do mundo, com vistas maravilhosas da montanha e inclusive com uma trilha para chegar no topo da Table Mountain saindo dali.

Como tínhamos tempo contado, optamos por não ir. Mas o site oficial está aqui! Pelo que li, reserve pelo menos duas horas para este passeio!

Existem outros passeios como o de barco para assistir o pôr do sol, que vi nas agências de Waterfront e que parece ser lindo e interessante. Outros como nado com focas também podem ser agendados, mas a água era muito fria para mim!

Para quem quiser saber mais sobre as atrações do Parque Nacional da Table Mountain como horários (que mudam com os meses do ano), o que fazer e mais curiosidades acesse: Table Mountain National Park

Também para a lista completa de lojas, restaurantes e atrações no Waterfront, acesse o V&A Waterfront

Bom, espero que tenham gostado das minhas dicas e que elas sejam úteis e ajudem quem também pensa em conhecer esta cidade tão encantadora, cheia de cores e de vida! Eu me apaixonei!

Beijos e obrigada pela visita!!!

Acesse os outros posts sobre a África do Sul:

Ah, e aqui embaixo está o nosso mapa com todos pontos citados nesse e nos outros posts da África do Sul.

Share: