2017-04-02 - A - Tsitsikamma National Park (93)_

Oi Gente!

Hoje vim falar sobre o que fizemos nos 4 dias que tivemos entre Stellenbosch e o Shamwari Game Reserve, a Rota Jardim!

Rota Jardim ou Garden Route é uma das rotas cênicas mais famosas da África e reúne ao longo dos seus aproximadamente 800 km cidades simpáticas, praias lindas, parques nacionais maravilhosos, safáris, esportes radicais, surf de primeira, vinícolas e muita comida boa!

Na minha opinião é uma viagem super eclética e que vai agradar quase todo mundo!

Você pode escolher se quer começar por Cape Town e seguir até Port Elizabeth, que foi o que fizemos, ou o inverso. Dentro da rota existem várias cidadezinhas que você pode escolher para dormir. Não recomendo dormir cada noite em um lugar diferente por conta da perda de tempo com check in e check out, fora o fazer e desfazer malas e a distância entre elas! Mas calma! Vou ajudar você a fazer a melhor escolha! Vamos lá?

mapa-garden-route

A parte legal e mais cênica da rota depois de Cape Town, inicia oficialmente em Mossel Bay, que fica a 387 km ou umas 5 horas de carro de lá! Mossel Bay é o ponto de partida para a aventura e muita gente dorme a primeira noite ali para depois seguir caminho, já que as 5 horas no carro podem ser cansativas. Cidades importantes da rota além da Cidade do Cabo e Port Elizabeth são: George, Wilderness, Knysna, Plettenberg Bay e Jeffrey´s Bay. Nós resolvemos escolher 2 delas para dormir e passar reto por Mossel Bay, sem dormir ali, fazendo passeios bate e volta para cidades vizinhas.

Mas como fazer esta escolha? 

Primeiro vamos considerar pontos de interesse na rota e distância entre os pontos. Não citei George e Wilderness na parte das distâncias, pois na minha pesquisa achei Knysna e Plettenberg Bay mais interessantes pro que eu buscava, mas as duas também têm reservas naturais e muitas empresas de esportes radicais e atividades.

Pontos de interesse

Na minha opinião, as coisas mais interessantes da rota além de pegar praia se você for no verão, são as que citei abaixo.

Knysna Heads

Knysna (náisna) fica na beira de um lago de mesmo nome que desemboca no Oceano Índico. Na saída para o mar ficam os Heads, grandes paredões que parece que “guardam” o lugar. Existe um mirante chamado Knysna Heads Viewpoint onde você chega de carro e tem a vista do lindo lugar. No dia que fomos estava nublado e acabamos não saindo para fazer um passeio de barco por ali. Mas acho que vale super a pena se você tiver tempo disponível. Vários passeios de barco são vendidos no Waterfront mesmo.

Vista do Viewpoint.

Vista do Knysna Heads Viewpoint. Dia nublado não colabora, mas mesmo assim achei lindo!

Knysna Elephant Park

Este santuário de elefantes resgata os animais machucados, órfãos e com maus tratos de circos, zoológios etc. Fiquei morrendo de curiosidade de ir lá, pois tudo que li dizia que fazem um trabalho bem legal com elefantes, que hoje somam mais de 40 e que você pode interagir, alimentando, passando a mão etc. Eu acho que já comentei como não curto ver os animais em cativeiro, cuidados como se fossem de estimação. Prefiro ver os animais selvagens mesmo. Livres. Acho que o julgamento aqui é bem pessoal. Eles dizem que os animais são livres e que se não quiserem vir até você comer por exemplo,ninguém os obriga. Mas eles dormem em baias, presos, inclusive os lodges dali têm vista para as baias. Neste caso, me pareceu quase que um zoológico camuflado. Não me entendam mal, o local cuida super bem dos animais e provavelmente os animais que ali moram realmente não têm condições de serem soltos na vida selvagem, pois os resgatados do cativeiro não sobreviveriam, mas fiquei na dúvida se iria gostar e preferi não visitar. De qualquer forma os animais são lindos, e eu, como apaixonada por bichos iria adorar passar a mão num elefante. Quem sabe numa próxima até iria, mas lá, no momento, preferi não ir, e adorei ter deixado a surpresa pro Shamwari!

Para saber mais sobre o trabalho deles, clique aqui!

Robberg Nature Reserve

Esta foi sem dúvida uma das reservas mais lindas que já vi! Além de reserva natural, o Robberg é Patrimônio Mundial da Humanidade e é uma península que se estende mar a dentro com uma praia maravilhosa que você vai conseguir usar se caminhar um pouquinho! As rochas encontradas ali datam mais de 120 milhões de anos e são evidências de quando o suposto supercontinente (Gonduana) se rompeu, criando a configuração de mundo que conhecemos hoje.

Vista da península da reserva!

Vista da península da reserva! Você consegue chegar nessa praia descendo a duna durante a trilha Witsand ou no final da Point.

A reserva é linda e super bem cuidada, abre das 8:00h às 17:00h e para entrara você paga R40 por adulto, algo em torno de USD 4,00. Como todos os parques que vimos na África do Sul, é possível reservar uma cabana para passar a noite. Mas ali existe apenas uma, a Fountain Shack, que tem uma vista maravilhosa e acomoda até 8 pessoas! O valor da cabana é de R875 por noite. Deve ser incrível passar a noite num lugar assim, completamente selvagem em meio á natureza! Para reservar clique aqui!

A casinha da foto é Fountain Shack e você pode dormir ali!

A casinha da foto é Fountain Shack e você pode dormir ali!

Para visitar a reserva você não precisa amar trilhas ou ter um super preparo físico pois existem 3 trilhas circulares diferentes com diferentes graus de dificuldade e distâncias. A mais curta delas e que todos podem fazer é a Gap Circuit que tem 2,1Km e leva algo em torno de meia hora. O Witsand Circuit tem 5,5 km e chega até a duna que leva a praia no meio da reserva. Para chegar na praia você vai ter que descer e vai cansar bastante! Se fizer este circuito você também vai passar por uma colônia gigantesca de focas. Desde 1990 é proibido caçá-las na África do Sul e a maior colônia delas vive ali! É impressionante observá-las mas o cheiro delas não é muito bom não! Para este trecho reserve umas 2 horas.

Colônia de focas!

Colônia de focas!

Muitas e muitas focas!

Muitas e muitas focas!

Se tiver fôlego para ir adiante eu garanto que a paisagem vale muito a pena! O point Circuit tem 9,2 km e circunda toda a reserva. Não é a distância que é o maior obstáculo aqui e sim os vários tipos de terreno como trilhas de areia, muitas partes na pedra e muitas subidas de encosta que tornam a caminhada bem técnica e vão requerer umas 4 horas. Nós fizemos boa parte da trilha correndo e mesmo assim levamos 2 horas e meia. Como chegamos no parque á tarde e não queríamos terminar a trilha no escuro, resolvemos correr! Esta trilha não é recomendada para crianças e o parque não recomenda você ir adiante da Witsand para a Point se passar das 15:00h.

Toda a reserva é super bem sinalizada! Durante a trilha também é cheio de setas e impossível se perder!

Toda a reserva é super bem sinalizada! Durante a trilha também é cheio de setas e impossível se perder!

A paisagem com pedras e mar é sensacional!

A paisagem com pedras e mar é sensacional!

O Point Circuit vai até a ponta da reserva que tem essa paisagem com pedras e mar. Nada de areia por aqui!

O Point Circuit vai até a ponta da reserva que tem essa paisagem com pedras e mar. Nada de areia por aqui!

2017-04-01 - C - Robberg Nature Reserve (100)

Uma coisa que amei nos parques sul africanos mas nesse em especial, foi o local para fazer piquenique com uma vista incrível! É muito legal como as pessoas usam mesmo estes locais! Nós resolvemos voltar um segundo dia lá para poder fotografar as focas de perto (no primeiro dia eu não estava com a lente grande) e já aproveitamos para levar nosso almoço e comer ali! Foi uma das coisas mais legais que fizemos na rota! Para fazer isso você não precisa pagar nada além da entrada do parque e nem reservar. É incrível como todos usam e mantém tudo limpo e bem cuidado.

Nosso almoço com a vista maravilhosa do Robberg!

Nosso almoço com a vista maravilhosa do Robberg!

Além dessas atividades, de junho a novembro é possível observar baleias dali.

Para visitar o site oficial clique aqui!

Tsitsikamma – Garden Route National Park

Outro lugar sensacional é o Tsitsikamma, dentro do Garden Route National Park é gigantesco e perfeito para quem ama a natureza e as atividades ao ar livre! A entrada custa R196 para passar o dia. Para mais valores clique aqui!

Vista da entrada

Vista da entrada do parque onde dá pra ver as cabanas para alugar e os locais para acampar! O parque também conta com restaurante e lojinha!

A trilha mais famosa do parque é a Otter Trail que tem 42 km, leva 5 dias e vai de Storms River Mouth até Nature´s Valley, com 5 acampamentos no caminho. Ali também acontece uma maratona de trilha uma vez por ano, em outubro. Com certeza fazer esta trilha deve ser lindo demais! Uma curiosidade é que a idade máxima para fazer esta atividade é 65 anos, independente do seu estado físico. Para mais detalhes clique aqui!

As trilhas são assim, todas demarcadas e tudo super bem conservado!

As trilhas são assim, todas demarcadas e tudo super bem conservado!

Todas as outras trilhas disponíveis no Garden Route National park que inclui seções em Wilderness e Knysna alé do Tsitsikamma estão aqui!

Nós não tínhamos tempo para fazer nada muito longo e optamos por conhecer uma outra parte bem conhecida do parque bem próxima da entrada principal, a Storms River Mouth, uma trilha bem demarcada, com passarelas de madeira de nível de dificuldade bem pequeno e bem curta, 4 km ida e volta, que vai até as pontes suspensas do parque onde o Storms River desemboca no mar! A paisagem ali é surreal! Atravessando a maior ponte é possível subir para um mirante que tem uns 200 metros de elevação. Se você não quiser subir o mirante a trilha será ainda mais curta, mas a vista lá de cima vale a subida!

A ponte suspensa de Storms River Mouth!

A ponte suspensa de Storms River Mouth!

Rio que desemboca no mar ali! Tours de caiaque estão disponíveis no parque!

Rio que desemboca no mar ali! Tours de caiaque estão disponíveis no parque!

2017-04-02 - A - Tsitsikamma National Park (100)

Vista da praia que tem acesso à trilha do mirante!

Vista da praia que tem acesso à trilha do mirante!

Vista do mirante da Storms River Mouth trail

Vista do mirante da Storms River Mouth trail

Vista das duas pontes!

Vista das duas pontes!

Sobre as pontes suspensas do parque

Sobre as pontes suspensas do parque

Maravilhoso!

Maravilhoso!

Esta parte do parque conta com restaurante, cabanas para alugar, mesas para piqueniques, lojinha, local para aluguel de caiaques e tours de caiaque além de uma empresa que faz scuba dive. Achei o mar meio agitado e não sei se faria mergulho ali, mas o caiaque pareceu bem interessante, principalmente se for rio a dentro.

Nature´s Valley Beach

Passando o Tsitsikamma existe uma entrada para esta praia, lindíssima, que faz parte do Garden Route National Park e é onde acaba a Otter Trail. A praia é toda emoldurada por um paredão e é cheia de casas charmosinhas e bem isoladas, para quem procura alguns dias de muita tranquilidade. Não usamos a praia porque não era tão calor a ponto de ficar pegando sol, mas para quem viaja no verão recomendo passar um tempo ali. Por ficar dentro de um parque nacional a praia não tem nenhuma estrutura, então se decidir ir leve comida, bebida além de itens de praia como cadeira, cangas ou guarda sol.

Bloukrans Bungy

É o Bungy Jump mais alto do mundo acima do Bloukrans River, em uma ponte! Fica depois do Tsitsikamma National Park em direção a Port Elizabeth. Abre 365 dias no ano, independente de condições climáticas e é recomendável reservar o salto com 48h de antecedência. A empresa responsável pelas operações é a Face Adrenalin e dentro do parque da ponte também existem lodges para alugar e passar a noite, como nos parques nacionais! Paramos para ver mas nem eu nem o Paulo tivemos coragem de pular! É muuuuuito alto! Este é aquele programa para os radicais de verdade!

Ponte de onde acontecem os saltos!

Ponte de onde acontecem os saltos!

Skydive em Plettenberg Bay

A África do sul está cheia de lugares legais para quem quer fazer Skydive! Pode ser feito em Cape Town, Mossel Bay e vários outros lugares. Mas o salto considerado o mais bonito da África é o feito de Plettenberg Bay, e você pode escolher aterrisar na praia! Era esse que eu queria fazer e procurei bastantante antes de ir… No fim com tantos parques que fomos e a vontade curtir os lugares sem compromisso, acabei não indo. Mas a empresa que faz salto em várias cidades e a que eu estava considerando é a Skydive Africa. Os saltos saem a partir de USD 200,00 aproximadamente, mas no site tem a tabela de preços completa!

Mergulhar com tubarões brancos perto de Mossel Bay

Esse é um dos programas super famosos da África do Sul mas que eu nunca tive vontade fazer, principalmente depois que vi algumas fotos e também pela água fria. Mas acho que deve ser realmente arrepiante ver estes gigantes de perto. Várias empresas fazem este tour. Vários outros tours para ver a vida marinha estão disponíveis por toda a região. Coloquei o link do Trip Advisor para dar ideias aqui!

Eu achei muito legal o de nadar com as focas, mas por conta da água fria não me animei para ir!

Surfar em Jeffrey´s Bay

Para quem é fã de surfe e sabe surfar, o lugar tem ondas maravilhosas, fora a chance de ver golfinhos na água! Mas para quem não sabe surfar como eu, também valeu muito a pena! Adorei JBay, como é conhecida. O clima descontraído da cidade, cheia de restaurantes ótimos e comidas saudáveis, lojas de surf de marcas conhecidas com um preço que vale muuuuito a pena e uma praia linda, fazem do lugar uma parada perfeita para uns dias relax no meio da viagem!

Paulo indo pro surf bem na frente da nossa pousada! Mais bem localizada impossível!

Paulo indo pro surf bem na frente da nossa pousada! Mais bem localizada impossível!

Jbay!

Jbay!

2017-04-04 - D - Jeffrey's Bay (76)

Uma dica para quem quer fazer compras em lojas de marca como Quiksilver, Billabong e outras, eles têm lojas normais e outlets. Achei que as lojas normais valem bem mais a pena que nos outlets onde o garimpo tem que ser enorme e a chance de achar numeração e variedade é pequena! Mas os preços das lojas normais também valem a pena. Bermudas de surf da Billabong saíram por R$80,00. Bem abaixo do preço das lojas brasileiras.

Na praia você vai ver cachorros grande tipo Golden que pescam! É super interessante ficar observando eles nadando! Se quiser ver golfinhos, bem cedo de manhã as chances são maiores. Vi apenas de longe, mas quando tem mais ondulação eles chegam a brincar surfando nas ondas!

Aparece bem pequenininho, mas é um golfinho bem cedão, visto da pousada!

Aparece bem pequenininho, mas é um golfinho bem cedão, visto da pousada!

Surfistas na água em supertubes que não estava tão super assim!

Surfistas na água em Supertubes que não estava tão super assim!

Cão pescador!

Cão pescador!

Outra coisa que você não pode deixar de fazer aqui é acordar cedo para ver o nascer do sol no mar. Consulte para saber que hora o sol nasce a época que você for. Tenho certeza que será inesquecível!

Nascer do sol em Jeffrey´s é muito lindo!

Nascer do sol em Jeffrey´s é muito lindo!

Placa na entrada de Jeffrey´s!

Placa na entrada de Jeffrey´s!

Distâncias

  • Mossel Bay até Knysna – 110km
  • Mossel Bay até Plettenberg Bay – 142 km
  • Knysna até Plettenberg Bay – 32 km
  • Knysna até Robberg Nature Reserve – 37 km
  • Knysna até Tsitsikamma –
  • Plettenberg Bay até Tsitsikamma – 65 km
  • Plettenberg Bay até Jeffrey´s Bay – 164 km
  • Jeffrey´s Bay até Port Elizabeth – 85 km
  • Jeffrey´s Bay até Shamwari Game Reserve – 150 km

Estávamos em Stellenbosh e saímos cedão para pegar a estrada e tocar direto até Knysna, que foi o primeiro local que nos hospedamos. Não fizemos nada com pressa, fomos parando pelo caminho, olhando a paisagem, já que viagem de carro tem que ser assim, contemplativa. Vamos às nossas escolhas então?

Nosso roteiro

É claro que aqui você pode adaptar como quiser e com o que tem vontade fazer, mas acho que nosso roteiro dá uma ideia de quantas coisas você consegue fazer em um dia.

Dia 1: Saída de Stellenbosch até Knysna onde fizemos check in e logo saímos para o Robberg Nature Reserve! Depois de quase 3 horas de trilha (fizemos a completa) voltamos para jantar no Waterfront de Knysna.

Dia 2: Acordamos cedo e logo após o café partimos em direção ao Tsitsikamma, viagem que leva uma hora e meia de Knysna. Ali fizemos a trilha até Storms River Mouth e depois, na volta paramos em Plettenberg Bay para comprar comidinhas para almoçarmos no Robberg Nature. Depois do almoço fizemos a trilha até as focas novamente e jantamos no Waterfront de Knysna.

Dia 3: Acordamos cedo e partimos com destino à Jeffrey´s Bay, com direito a parada no Bloukrans Bungy para conhecer. Chegando em Jeffrey´s bay fomos dar uma volta para reconhecimento de área. Também fizemos umas comprinhas, vimos o pôr do sol e saímos para jantar.

Dia 4: Acordamos para ver o nascer do sol., imperdível ali! Dia de surf pro marido. Eu vi golfinhos no mar e curti um pouco a praia. Depois ficamos sem compromisso pela cidade. De tarde rolou um surf novamente e jantar.

Dia 5: Depois de tomar um café da manhã ótimo partimos com destino ao Shamwari Game Reserve para o safári!

Quanto tempo ficar

Para fazer toda a lista que citei com certeza 4 dias são pouco, mas acredito que dá pra encaixar as coisas mais interessantes nesse tempo. Inicialmente não iríamos fazer safári e teríamos 6 dias, mas optei por encurtar esta parte e incluir o safári e não me arrependo. Se você tiver mais um dia disponível aqui pode ser interessante. Eu conseguiria ter incluído o skydive e provavelmente teria ido ver Knysna Heads de barco.

Onde ficar

Knysna

Confesso que fiquei super confusa na hora de escolher entre Plettenberg Bay ou Knysna para as primeiras duas noites. Knysna tem uma marina super legal lotada de restaurantes e muitos velejadores passam por ali, o que nos daria mais opções de coisas para fazer de noite sem ter que sair de carro. Tem uma paisagem linda também. O Robberg Nature e o Tsitsikamma National Park ficam mais próximos de Plettenberg Bay do que de Knysna, mas acho que acertamos. Ainda tínhamos a opção de passear pelos Heads, que não fomos por causa do clima e ver os elefantes por ali. Achei uma ótima opção.

Protea by Marriot!

Protea by Marriot!

20142081

Nos hospedamos bem no Waterfront mesmo, no Protea Hotel by Marriot e adorei! O café da manhã é excelente, enorme e está incluso na diária e os quartos são super limpos e confortáveis! Recomendo!

Para ver outras opções de hotéis em Knysna, use esse link do Booking. Se reservar por ali, eu ganho uma comissão, mas você não paga nada a mais por isso.

Waterfront de Knysna! Cheio de restaurantes e lojinhas!

Waterfront de Knysna! Cheio de restaurantes e lojinhas!

2017-04-01 - D - Knysna Waterfront (4)

Jeffrey´s Bay

A segunda cidade escolhida foi Jeffrey´s Bay porque queríamos uns dias sem muitas obrigações. Passamos os primeiros dois dias da rota indo em parques, trilhas e vendo o caminho, que queríamos uns dias mais calmos. O Paulo também queria surfar e achamos esta parada perfeita para isso no meio da rota! Eu queria me hospedar de frente para o mar e super indico a pousada que ficamos!

Nossa pousada era incrível, bem na frente de Supertubes!

Nossa pousada era incrível, bem na frente de Supertubes!

Nos hospedamos na Shaloha Guesthouse exatamente em frente à Supertubes, a onda famosa de Jeffrey´s! Super recomendo! O nosso quarto era no segundo andar, de frente para o mar com uma varanda bem grande! Tinha banheira também e era super limpo e confortável! O atendimento é primoroso e a querida senhora que ali trabalha conversa, indica restaurantes e tudo mais! Café da manhã excelente também! Com certeza vale a pena procurar uma pousada ou hotel que seja de frente para o mar ali, com acesso a praia. Assim você não precisa ficar saindo de carro o tempo todo.

Aqui você pode comparar outras opções de hospedagem em Jeffrey’s Bay.

Sala de estar da pousada! Clima praiano bem descontraído mas ao mesmo tempo super confortável!

Sala de estar da pousada! Clima praiano bem descontraído mas ao mesmo tempo super confortável!

Vista do nosso quarto em Jeffrey´s Bay!

Vista do nosso quarto em Jeffrey´s Bay!

IMG_9200

Local para café da manhã!

Local para café da manhã!

Onde Comer

Ao longo da viagem fica ainda mais nítido como os sul africanos gostam de comidas naturais, frescas e saudáveis! Comemos em vários lugares diferentes e não nos decepcionamos nenhuma vez. Sempre falo que acredito que esta foi a melhor viagem no quesito gastronomia! Comemos bem todos os dias!

Knysna

O Knysna Quays ou Waterfront tem inúmeras opções, mas gostamos tanto do que fomos, o 34 Degrees South, que jantamos os dois dias lá! Nos dois dias a comida estava excelente, mas não deixe de comer o Seafood Platter ali! É super bem servido e excelente!

Para saber sobre outras opções no Waterfront clique aqui!

Jeffrey´s Bay!

Para almoçar adorei o lugar que fica no Billabong Village. Fazem wraps e saladas excelentes e tem wifi liberada. Os sucos e smoothies também são ótimos!

Wraps super saborosos!

Wraps super saborosos!

Para jantar o Kitchen Windows é uma opção maravilhosa. O ambiente é descontraído, de frente para o mar e serve frutos do mar maravilhosos! O atendimento super atencioso também! O site do restaurante é este aqui!

Outro lugar muito legal que jantamos foi no Nina´s, um restaurante que tem um cardápio enorme! Comidas deliciosas, lanches, massas, frutos do mar e várias opções veganas, vegetarianas, low carb, sem glúten e sem lactose também! Minha pizza era com massa de couve flor! Adorei!

Ambiente super legal do Nina´s!

Ambiente super legal do Nina´s!

Bom, espero que tenham gostado das dicas sobre a Rota Jardim! É uma viagem extraordinária! No final do post tem um mapa completo com todos os pontos que falo aqui e de toda a nossa viagem e vou deixar os links pros outros posts também!

Beijos e obrigada pela visita!!

Outros posts relacionados:

Share: